Arquivos do Blog

Imagem

MAPA DO #SANEAMENTO NO #BRASIL: OBRAS PARALISADAS, OBRAS NEM INICIADAS

foto: arquivososriosdobrasil.blogspot.com.br

Auditoria do Saneamento básico aponta diversas irregularidades

A análise do relatório anual de contas da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades apontou diversas irregularidades. Os exames deste processo foram realizados no período de 07/04/2011 a 10/06/2011, por meio de testes, análises e consolidação de informações coletadas ao longo do exercício a partir da apresentação do processo de contas pela Unidade Auditada.

Paralisia

Foram identificadas inúmeras obras paralisadas, e elevado o número de contratos com obras ainda não iniciadas, sobretudo os firmados em exercícios anteriores a 2010, cerca de 3.969 contratos de repasse.

O percentual de obras Paralisadas é de 6,85% com repasses do OGU da ordem de R$ 1,894 bilhões. Também, verifica-se a elevada quantidade de 3.929 contratos firmados em anos anteriores a 2010 (36,62%) e que continuam com as obras não iniciadas comprometendo repasses da ordem de R$ 3,627 bilhões inscritos em Restos a Pagar. A SNSA não opera diretamente transferências de recursos. Estas transferências são operacionalizadas por terceiros como é o caso da Caixa Econômica Federal, que se encarregam das liberações de recursos, fiscalização das aplicações e das prestações de contas.

A Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental não dispõe, em sua estrutura organizacional, de unidade própria de controle interno. Órgãos de governo como estes demandam de auditorias específicas e mais rigorosas e focadas no controle de gestão. A equipe que realizou a auditoria, mesmo com dificuldade de acesso,  coletou informações sobre o controle interno da SNSA demandados pelo TCU.

 Clique aqui ou no documento abaixo e confira o certificado da auditoria na original e na íntegra.

Anúncios
Imagem

o #primeiro socorro à vítima é o mais importante nos #acidentes

Excelente a iniciativa do HPS (Hospital Pronto Socorro), juntamente com a Secretaria de Saúde e prefeitura de Porto Alegre. Preparar a população para situações de urgência e emergência, afinal, não é o SAMU o primeiro a chegar em casos de acidentes. Os civis que fazem os primeiros contatos com as vítimas, normalmente não sabem como agir e em muitos casos acabam prejudicando a vítima na intenção de ajudar. O que estou me perguntando é por que a prefeitura irá cobrar esta taxa de 50,00 reais se poderia popularizar este projeto e fazer melhor.

HPS oferece curso de primeiros socorros à população

Estão abertas as inscrições para mais um Curso Básico de Primeiros Socorros promovido pelo Hospital de Pronto Socorro (HPS). São 50 vagas, e os interessados podem comparecer na Direção Científica, 6º andar, das 9h às 11h30 e das 14h às 16h. O valor da taxa é R$ 50.

O curso tem como objetivo capacitar o maior número de pessoas a prestar atendimento básico a vítimas de traumas e outras situações de urgência. Os temas a serem abordados são avaliação e manejo da vítima de trauma, choque elétrico/queimaduras, ferimentos, intoxicações, acidentes com animais peçonhentos, desmaios/convulsões, acidente vascular cerebral (AVC), infarto agudo do miocárdio (IAM) e parada cardiorrespiratória.

A aula será no dia 24 de março, das 8h30 às 12h30 e das 13h30 às 15h30, no auditório do HPS, no 3º andar. Os instrutores são profissionais do hospital, e a coordenação do curso é do médico João Carlos Guaragna. Para mais informações, entre em contato pelo telefone 3289-7709.

fonte:http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=150254&HPS+OFERECE+CURSO+DE+PRIMEIROS+SOCORROS+A+POPULACAO

imagem:http://2.bp.blogspot.com/_8tuGmAdZaIE/TGDKXrdtBuI/AAAAAAAAAIU/ATn5Vcw6FSQ/s1600/primeiros_socorros.png

Imagem

Seca na Região Noroeste do RS

Seca na Região Noroeste do RS

A estiagem provocou perdas de bilhões de reais para grandes lavouras gaúchas de soja e milho. Será que ano que vem este cenário vai se repetir? (Foto: Cleber Giordani Tesche)