Arquivo da tag: locomoção

#ACESSIBILIDADE: MÃOS NA RODA PARA ULTRAPASSAR #OBSTÁCULOS NA CIDADE

Acessibilidade
Porto Alegre é a cidade com mais rampas de acesso a deficientes físicos (23,3%) e Fortaleza, a com o menor percentual (1,6%). Apesar de um percentual acima do nacional, a acessibilidade na capital gaúcha ainda é restrita.

Morador de Porto Alegre, com alto percentual de acessibilidade, enfrenta dificuldade para chegar ao trabalho (Foto: Felipe Truda/G1)

O Dia de um cadeirante:
O G1 acompanhou o dia de um cadeirante na quinta (24) do bairro Farrapos, um dos mais movimentados de Porto Alegre, até o Centro. “Quando precisamos ir aos bairros, enfrentamos os obstáculos. E posso dizer tranquilamente que em todos os bairros há problemas”, avalia Dilceu Flores Júnior, de 40 anos, 32 deles sobre uma cadeira de rodas.

Fonte: http://g1.globo.com/brasil/noticia/2012/05/norte-e-nordeste-concentram-esgoto-ceu-aberto-no-pais-segundo-ibge.html

Rio tem só 8,9% das calçadas com rampas
Estudo mostra que cidades brasileiras não estão adaptadas para cadeirantes. Média nacional é 4,7%. Niterói é a mais bem colocada no ranking do estado, com 34,6%

As cidades brasileiras estão mais iluminadas, mas a anos-luz de garantir a cadeirantes o direito de ir e vir em segurança. No Rio de Janeiro, cidade que será sede da Rio+20, maior encontro ambiental do planeta mês que vem, somente 8,9% das calçadas possuem rampas de acesso para pessoas com deficiência, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com base nos dados do Censo de 2010.

O estudo avaliou dez itens no entorno dos domicílios urbanos, como arborização, coleta de lixo, saneamento, pavimentação de vias e iluminação, entre outros. A preocupação com a acessibilidade é baixa em todo o País. A média nacional é 4,7%. Entre os 92 municípios fluminenses, Niterói ficou em primeiro lugar, com 34,6% de rampas.

fonte: http://odia.ig.com.br/portal/rio/rio-tem-s%C3%B3-8-9-das-cal%C3%A7adas-com-rampas-1.445567

MS tem 2º maior índice de entornos com rampa pra cadeirantes

O Instituto Brasileiro de Geografia e Esatatísticas divulgou hoje (28/05) mais uma etapa do Censo Demográfico 2010, desta vez sobre características urbanísticas do entorno dos domícílios.

O detalhamento aqui apresentado é inédito e cobre aspectos importantes da infraestrutura urbana, com destaque para duas importantes dimensões – a circulação e o meio ambiente. Assim, foram selecionadas as seguintes características urbanísticas: identificação dos logradouros, iluminação pública, pavimentação, arborização nos logradouros públicos, bueiro/boca de lobo, lixo acumulado em vias públicas, esgoto a céu aberto, meio-fio/guia, calçada e rampa para cadeirante.

MS TEM A 2ª MAIOR PROPORÇÃO DE DOMICÍLIOS QUE TEM NO SEU ENTORNO, RAMPA PARA CADEIRANTES

Segundo o Censo Demográfico 2010, MS tem o 2º maior percentual no ranking nacional com 14,6%

Rank. UF Total de domicílios Total de domicílios com existência no entorno de Rampa para cadeirante % DOMIC. RAMPA CADEIRANTE
1º DF 743.138 121.648 16,37
2º MS 643.373 90.488 14,06
3º PR 2.773.342 269.787 9,73
4º RS 3.005.977 229.591 7,64
5º RJ 4.755.924 269.712 5,67
6º SP 11.792.539 609.037 5,16
7º ES 884.316 44.638 5,05
8º SC 1.569.342 70.280 4,48
9º AC 139.509 5.967 4,28
10º SE 436.157 16.769 3,84
11º MG 5.123.781 184.056 3,59
12º GO 1.686.684 59.696 3,54
13º AL 627.762 20.528 3,27
14º MT 736.955 23.739 3,22
15º RR 91.947 2.484 2,7
16º RN 707.101 15.190 2,15
17º AM 646.615 12.766 1,97
18º AP 124.868 2.461 1,97
19º PI 565.713 9.072 1,6
20º TO 312.605 4.900 1,57
21º PB 824.144 10.976 1,33
22º PE 1.822.810 24.313 1,33
23º RO 331.072 4.267 1,29
24º BA 2.742.971 34.177 1,25
25º PA 1.320.336 15.195 1,15
26º CE 1.746.873 19.924 1,14
27º MA 1.108.354 12.278 1,11

fonte: http://www.msnoticias.com.br/?p=ler&id=86772

Anúncios

#CICLOVIA: MAIS UMA OBRA INICIA EM #PORTO ALEGRE


foto: http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=90282(JC)
Nossas cidades não comportam mais tantos carros, basta sair de casa dirigindo um para entender que não há estacionamento suficiente, não há vias úteis suficientes (me refiro a vias de duas mãos). A "imobilidade" urbana vem sendo tão discutida, este é o momento de refletir sobre questões que envolvem até mesmo o meio ambiente, evitando veículos poluentes e utilizando meios de transporte mais alternativos.
Se em Porto Alegre já é tão dificil se locomover, imaginem em São Paulo. Na semana passada, o jornal Estado de S. Paulo divulgou, com base em pesquisa realizada na Escola Politécnica da USP, que 25% de toda a área construída da cidade de São Paulo é usada para garagens, é preciso considerar também o enorme espaço que estes veículos ocupam nas vias públicas (http://migre.me/8x372).
Bem, quanto à Porto Alegre, a presidente esteve na capital gaúcha na segunda semana de outubro do ano passado para anunciar o início das obras do metrô, mas até agora ninguém conseguiu localizar o local das obras na região metropolitana(http://migre.me/8x41a).
A ciclovia da avenida Ipiranga, trecho entre a Érico Veríssimo e a Azenha, "já" começa a ganhar sua camada de asfalto, depois de meses do início da edificação (http://migre.me/8x3C4). Veremos o que será da obra na Icaraí...

Prefeitura começa a demarcar a ciclofaixa da avenida IcaraíNo lado direito da pista, via especial tem 1,7 quilômetro e 1,5m de largura

Até o final deste mês, Porto Alegre contará com mais um espaço destinado à circulação de ciclistas. A prefeitura começou ontem a demarcação da ciclofaixa da avenida Icaraí. A área terá 1,7km de extensão entre as avenidas Chuí e Wenceslau Escobar, no sentido bairro-Centro.

A pista, localizada ao lado direito da via, junto ao meio-fio, será segregada por tachões e terá 1,5 metro de largura. O asfalto será pintado na cor vermelha e receberá sinalização horizontal específica.

De acordo com o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, a circulação na via não será afetada com a delimitação da área para quem se desloca utilizando bicicleta. “A via é diferenciada, permitindo a faixa para os ciclistas sem prejuízo à fluidez do trânsito”, afirma.

Com a criação da ciclofaixa, as pistas para a circulação de veículos da Icaraí, no sentido bairro-Centro, terão suas larguras alteradas. A pista da direita, ao lado do espaço para os ciclistas, terá 2,2 metros, enquanto a pista do meio terá 3,9 metros e a da esquerda terá três metros de largura.

Conforme o coordenador dos projetos de mobilidade da EPTC, arquiteto Régulo Ferrari, o projeto é a primeira ciclofaixa implantada em uma via arterial da cidade. A ciclofaixa da Icaraí terá algumas características especiais. Em alguns trechos, onde há permissão de embarque e desembarque, carga e descarga ou pontos de parada de ônibus, serão criados recuos viários, onde os ciclistas deverão aguardar as ações dos condutores.

Capellari destaca que a ciclofaixa irá formar, junto com a ciclovia da Diário de Notícias e com as futuras ciclovias da avenida Tronco e da Edvaldo Pereira Paiva, uma rede viária para os ciclistas.

A ciclovia da Tronco, que sairá junto com a duplicação da via, terá 5,3km de extensão. A da Edvaldo, terá 5,4km. Segundo o presidente da EPTC, a sinalização horizontal da Icaraí será finalizada junto com a construção da área para os ciclistas.

fonte: http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=90282

#Revolta e desespero no transporte público em São Paulo

Pane no metrô, por volta das 7 horas da manhã, causa revolta e tumulto em Francisco Morato na grande São Paulo. Devido ao vandalismo, depredação e violência na estação a polícia soltou bombas de efeito moral e interditou o local.
O Comércio foi fechado e seis pessoas foram pressas. A alternativa encontrada pelos passageiros foi a estação de ônibus da qual um dos principais corredores de acessos é através do metrô interditado.
Não há previsão de retomada dos serviços.
A superlotação ja se tornou uma grande falta de respeito à aqueles que diariamente prescisam enfrentar o aperto, tumulto e confusão no sistema de transporte brasileiro. Resta entender se a revolta dos passageiros é justificada...
foto: http://f.i.uol.com.br/folha/cotidiano/images/12089229.jpeg

Passageiros de trens enfrentam a polícia e depredam estação em SP

Os passageiros ficaram revoltados com uma pane no fornecimento de energia elétrica dos trens. Eles queimaram a bilheteria, quebraram catracas e destruíram parte da estação de Francisco Morato.

fonte: Jornal Hoje

clique aqui e assista o vídeo.

Fonte e vídeo: http://g1.globo.com/jornal-hoje/

Vá de #bike: Além de ser ecológicamente correto, você ganha prêmios

Image

A locomoção por meio de bicicleta evita a emição e gases, ajuda a descongestionar o trânsito e facilita a mobilidade, ajuda a manter a forma física, e ainda dá prêmios sem que o ciclistas tenha gastos extras.Esse tipo de estímulo realmente deve incentivar a população. A bicicleta pode ser solução para a mobiliade urbana no Brasil, se integrada a outros sistemas de transporte, mas primeiro é preciso que haja uma mudança cultural e de de infraestrutura para conectar a bicicleta ao transporte de massa. A mudança do paradigma do automóvel surgiu há 20 anos na Europa – e está dando certo.

Em Londres, quem andar a pé ou de bicicleta terá descontos em lojas e cinemas

Que tal ser recompensado, financeiramente, por deixar o carro em casa e se locomover pelas ruas da cidade a pé ou de bicicleta? Essa é a mais nova medida londrina para estimular a mobilidade sustentável – e, consequentemente, reduzir os níveis de poluição e congestionamento na capital inglesa.
A bonificação funcionará com a ajuda de um aplicativo para smartphone, criado pela empresa Recyclebank, com o apoio da prefeitura de Londres. Ao ser instalado no celular, o app é capaz de mensurar e pontuar os deslocamentos feitos a pé ou de bicicleta pelo usuário do aparelho, que poderá converter os pontos em prêmios e descontos, nas lojas e cinemas que participam da ação.
A iniciativa teve início no ano passado pelo governo londrino e foi testada, por um grupo de pessoas, até o final do ano, para finalmente ser lançada no segundo semestre de 2012 – não por acaso, quando começarão os Jogos Olímpicos de 2012, na cidade.
O Brasil também será sede das Olimpíadas, em 2016. Você acha que a medida adotada pela prefeitura de Londres poderia ser copiada pelo Rio de Janeiro para incentivar a mobilidade sustentável na capital fluminense e reduzir o trânsito caótico que esse tipo de evento esportivo mundial costuma causar nas cidades que o sediam?

por: Débora Spitzcovsky
fonte:http://super.abril.com.br/blogs/planeta/em-londres-quem-andar-a-pe-ou-de-bicicleta-tera-descontos-em-lojas-e-cinemas/
Imagem: Missionlessdays/Creative Commons

O Brasil já está dando os seus primeiros passos

Embora as cidades brasileiras estejam longe de ter uma atmosfera ciclística como Londres, Amsterdã, Copenhague ou Barcelona, algumas já dão os primeiros passos em direção a uma realidade mais sustentável. Esse é o caso do Rio de Janeiro, que recentemente, implantou o sistema de aluguel de bicicletas chamado Bike Rio. Com apenas três meses de funcionamento, o serviço já caiu no gosto do público, tanto que as bikes não ficam por muito tempo sem dono. “É fantástico. Além de agredir menos o ambiente, melhora a nossa qualidade de vida com a prática da atividade física. Pedalo até para ir ao trabalho”, diz a carioca Mariana Loureiro, de 27 anos. Já o gerente de projetos Fábio Garcia, de Porto Alegre, afirma que o sistema é ideal para pessoas como ele, que só vem ao Rio durante a semana para trabalhar. “Não tem como manter uma bicicleta aqui porque moro no Sul. Essa iniciativa veio a calhar”. São 48 estações, mas a previsão é que até fevereiro esse número chegue a 60 pontos na Zona Sul e Centro, com 600 bicicletas disponíveis, diariamente, das 6hs às 22hs. Elas estão conectadas a uma central de operações via wireless. Cadastrado previamente, o usuário pode destravar a bicicleta a partir de uma ligação ou de um aplicativo do programa para celular. Há também como se informar sobre a disponibilidade das bikes nas estações através do site. Para a jornalista Laís Castro, que mora há 4 anos na cidade, as vantagens do Bike Rio atraem até os mais sedentários como ela. “Não vou pegar trânsito, dá para apreciar melhor a vista e não deixa de ser uma atitude ecologicamente correta, além do preço baixo. Já queria começar uma atividade física. Agora, encontrei o que precisava." fonte: http://abiliodiniz.uol.com.br/qualidade-de-vida/va-de-bicicleta.htm