Arquivo da categoria: acessibilidade

Vá de #bike: Além de ser ecológicamente correto, você ganha prêmios

Image

A locomoção por meio de bicicleta evita a emição e gases, ajuda a descongestionar o trânsito e facilita a mobilidade, ajuda a manter a forma física, e ainda dá prêmios sem que o ciclistas tenha gastos extras.Esse tipo de estímulo realmente deve incentivar a população. A bicicleta pode ser solução para a mobiliade urbana no Brasil, se integrada a outros sistemas de transporte, mas primeiro é preciso que haja uma mudança cultural e de de infraestrutura para conectar a bicicleta ao transporte de massa. A mudança do paradigma do automóvel surgiu há 20 anos na Europa – e está dando certo.

Em Londres, quem andar a pé ou de bicicleta terá descontos em lojas e cinemas

Que tal ser recompensado, financeiramente, por deixar o carro em casa e se locomover pelas ruas da cidade a pé ou de bicicleta? Essa é a mais nova medida londrina para estimular a mobilidade sustentável – e, consequentemente, reduzir os níveis de poluição e congestionamento na capital inglesa.
A bonificação funcionará com a ajuda de um aplicativo para smartphone, criado pela empresa Recyclebank, com o apoio da prefeitura de Londres. Ao ser instalado no celular, o app é capaz de mensurar e pontuar os deslocamentos feitos a pé ou de bicicleta pelo usuário do aparelho, que poderá converter os pontos em prêmios e descontos, nas lojas e cinemas que participam da ação.
A iniciativa teve início no ano passado pelo governo londrino e foi testada, por um grupo de pessoas, até o final do ano, para finalmente ser lançada no segundo semestre de 2012 – não por acaso, quando começarão os Jogos Olímpicos de 2012, na cidade.
O Brasil também será sede das Olimpíadas, em 2016. Você acha que a medida adotada pela prefeitura de Londres poderia ser copiada pelo Rio de Janeiro para incentivar a mobilidade sustentável na capital fluminense e reduzir o trânsito caótico que esse tipo de evento esportivo mundial costuma causar nas cidades que o sediam?

por: Débora Spitzcovsky
fonte:http://super.abril.com.br/blogs/planeta/em-londres-quem-andar-a-pe-ou-de-bicicleta-tera-descontos-em-lojas-e-cinemas/
Imagem: Missionlessdays/Creative Commons

O Brasil já está dando os seus primeiros passos

Embora as cidades brasileiras estejam longe de ter uma atmosfera ciclística como Londres, Amsterdã, Copenhague ou Barcelona, algumas já dão os primeiros passos em direção a uma realidade mais sustentável. Esse é o caso do Rio de Janeiro, que recentemente, implantou o sistema de aluguel de bicicletas chamado Bike Rio. Com apenas três meses de funcionamento, o serviço já caiu no gosto do público, tanto que as bikes não ficam por muito tempo sem dono. “É fantástico. Além de agredir menos o ambiente, melhora a nossa qualidade de vida com a prática da atividade física. Pedalo até para ir ao trabalho”, diz a carioca Mariana Loureiro, de 27 anos. Já o gerente de projetos Fábio Garcia, de Porto Alegre, afirma que o sistema é ideal para pessoas como ele, que só vem ao Rio durante a semana para trabalhar. “Não tem como manter uma bicicleta aqui porque moro no Sul. Essa iniciativa veio a calhar”. São 48 estações, mas a previsão é que até fevereiro esse número chegue a 60 pontos na Zona Sul e Centro, com 600 bicicletas disponíveis, diariamente, das 6hs às 22hs. Elas estão conectadas a uma central de operações via wireless. Cadastrado previamente, o usuário pode destravar a bicicleta a partir de uma ligação ou de um aplicativo do programa para celular. Há também como se informar sobre a disponibilidade das bikes nas estações através do site. Para a jornalista Laís Castro, que mora há 4 anos na cidade, as vantagens do Bike Rio atraem até os mais sedentários como ela. “Não vou pegar trânsito, dá para apreciar melhor a vista e não deixa de ser uma atitude ecologicamente correta, além do preço baixo. Já queria começar uma atividade física. Agora, encontrei o que precisava." fonte: http://abiliodiniz.uol.com.br/qualidade-de-vida/va-de-bicicleta.htm

Vídeo

#Direito de ir e vir será assegurado na #Rio+20

Image

Direito de ir e vir todos tem, isto está assegurado por lei na constituição Federal. Desenvolver a acessibilidade em um ambiente é promover condições de mobilidade com autonomia, eliminando as barreiras arquitetônicas e urbanísticas nas cidades e promover a saúde ao priorizar a Acessibilidade em seus projetos. Sensibilizar-se para o problema das pessoas com deficiência já significa um grande passo rumo à acessibilidade. Muitos espaços de nossas cidades, como ruas, passeios, edifícios públicos, comerciais e residenciais são locais freqüentados por uma grande diversidade de usuários. Em razão disso, eles devem atender ampla gama da população, considerando as variações de tamanho, sexo, peso e diferentes habilidades ou limitações que as pessoas possam ter.

Para associação, Brasil mostra vontade política de discutir acessibilidade

O presidente da Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos (Andef), Guilherme Ramalho, disse que o Brasil está discutindo o tema acessibilidade “com mais seriedade e vontade política”. Ele se referiu aos preparativos da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que ocorrerá no Rio entre os dias 20 e 22 de junho próximo.

Ramalho disse que é preciso acesso em áreas como transporte e estacionamento. “É uma questão até de lógica. Não precisa ser entendido no assunto, nem especialista, para ver que falta quase tudo. Faltam áreas para estacionamento, banheiros adaptados, tudo isso faz parte da questão da acessibilidade”, disse.

Ele colocou a Andef à disposição dos organizadores da Rio+20. A entidade tem engenheiros e arquitetos especializados que poderão colaborar no que for necessário para garantir acessibilidade aos participantes do evento.

Para o presidente da Andef, é uma missão quase impossível atingir o nível de Europa ou da América do Norte em termos de acessibilidade no Rio e garantir que a conferência da ONU seja cem por cento acessível. “Mas a gente tem que procurar melhorar, tem que evoluir, seguir o exemplo de outros países que estão mais evoluídos nesse item, para chegar perto”.

Ramalho lembrou que pessoas com deficiência virão de todas as partes do mundo para o evento e, por isso, o assunto tem que ser tratado com seriedade e empenho.

fonte: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2012/03/15/interna_ciencia_saude,293391/para-associacao-brasil-mostra-vontade-politica-de-discutir-acessibilidade.shtml

 

Ir e vir é um direito de todos – assista o vídeo

 
links relacionados:
http://www.proservnet.com.br/colunistas/index.asp?secao=leartigo&VarIdArtigo=147&Colunista=16&Lateral=colunista

http://colunistas.ig.com.br/guilhermebarros/2010/03/19/senac-sao-paulo-faz-exposicao-de-fotos-feitas-por-deficientes-visuais/acessibilidade-todos-tem-o-direito-de-ir-e-vir-com-total-independendia-quis-mostrar-nesta-foto-o-caminhar-de-um-dv-sobre-o-piso-tatil/